23.10.06

Dente do siso

Mudei.

Não, sério, mudei mesmo. De casa, e de atitude.

Ontem acordei com a parte de trás da gengiva doendo e vi que meu dente do siso resolveu dar o ar da graça. Em inglês dente do siso se chama "wisdom teeth", ou "dente da sabedoria", e apesar de toda a dor que desce da minha cabeça e vai até o final do pescoço, não pude deixar de perceber que se for verdade esse nome, o dente veio na hora certa.

Comparada com os 4 últimos anos, essa foi a mudança de casa mais tranquila de todas (ignorem o post anterior). Enquanto em tempos outrora eu passava noites e mais noites em claro me preocupando se 1) ia encontrar o apartamento certo 2) na época certa, 3) se iam aceitar meus papéis, 4) se ia arrumar fiador, 5) se ia ter dinheiro pra pagar o depósito e os subsequentes aluguéis, e 7) se ia ter tempo e energia pra fazer a mudança, esse ano foi tudo feito da maneira mais smooth possível, e o mais incrível, sem a ajuda nenhuma de terceiros. Foi simples assim: um dia acordei, me dirigi ao prédio do lado, e gostei (muito) do que vi. Duas semanas depois imprimi três pedaços de papel e pronto. Peguei a chave e dois dias depois trouxe (bom, J. e D. trouxeram) todas as minhas coisas usando duas malas e duas caixas de papelão. Hoje estou instalada confortavelmente no melhor flat que eu já morei fora do Brasil, completamente stress-free.

Deve ter sido resultado da tal mudança interna sobre a qual eu havia conversado com o C. semana passada. Ele estava comentando o quanto estava se sentindo mais tranquilo e menos preocupado do que sempre esteve em toda a vida, e eu percebi que estava passando pela mesma experiência. "Sabe de uma coisa? Esse ano eu percebi que eu definitivamente não sou e nunca vou ser perfeito e o melhor de tudo - eu não só aceitei como ando curtindo essa idéia," disse ele enquanto limpava o balcão do bar. Eu não pude deixar de dar um sorrisinho compreensivo, do tipo "sei exatamente do que vc está falando", porque eu realmente sabia. Depois de 24 anos de tentativas frustradas, planos que não deram em nada, e expectativas em vão, hoje em dia eu raramente perco um fio de cabelo sofrendo por antecipação.

Foi uma atitude que deve ter se desenvolvido e se enraizado aos poucos depois que meus planos no começo do ano pra depois da universidade - mais uma vez - foram por água abaixo, e eu decidi que pelo resto do ano eu ia deixar as águas rolarem da maneira mais livre possível. E por incrível que pareça, as coisas começaram a acontecer.

"Ah, se eu soubesse que a solução para grande maioria dos meus problemas era simples assim!", falei pro C. Ele fez uma cara de interrogação, mas eu estava tentando explicar que no fim das contas meu problema não eram os planos que nunca se concretizavam. O problema era eu.

Então foi assim que eu parei de me cobrar tanto e passei a prestar atenção no que no fundo, no fundo, eu não queria. Isso mesmo. No fundo, mas não muito no fundo, as coisas não aconteceram porque eu mesma não queria que acontecessem. Simples assim. Reconhecendo isso, foi um pulo pra eu começar a parar de arrumar desculpas pra ser quem eu sou. I am what I am - and most of the time now, I like it.

Hoje continuo sofrendo - mas agora a dor é puramente física.

Bendito dente do siso.

4 comments:

Anonymous said...

Eu ja te falei como tu escreve bem???
bjs
Mariana

patricia said...

que maravilha ler isso... felicidades no novo apê. :D

Mannu Ebert said...

Pois é, conheci a Chantelle Fiddy na época que eu estava pesquisando sobre Grime, aí conheci o trabalho da Chantelle, da Lady Sovereign etc. Só esses tempos mesmo que descobri que ela tinha uma coluna famosinha aí em Londres. Bem cool.

Ah, e good luck no novo apê =)
beijo

Anonymous said...

"wisdom tooth" porque é singular.