3.7.06

Ando ausente...

... porque meus dias estão contados. Estou com a sensação de que a vida como ela é agora, do jeito que eu estabeleci, vai mudar. "Sensação" é um... como se fala mesmo quando a palavra que se usa ameniza o sentido forte que uma expressão tem? Eufemismo! Isso, "sensação" é um eufemismo, porque meus dias estão realmente contados, de acordo com o Home Office. Tenho 3 meses e meio, mais ou menos, até meu visto vencer e eu ter que desmanchar meu mundinho por aqui. Eu quase não tenho móveis, mas vou ter que arrumar uma casa nova pras centenas de livros e dvds e quadros e sapatos que acumulei em quatro anos de vida fora. Provavelmente, a casa nova desses companheiros vai ser um amontoado de caixas de papelão, dentro de um depósito úmido e frio - e isso me corta o coração só de pensar. Uma parte da minha história aqui na Europa encaixotada, a outra parte arquivada dentro de hard-drives e servidores. Milhares de fotos, músicas, arquivos .doc, blogs-fotologs-sites. Porque eu deixei de escrever diários de papel quando eu descobri que internet servia pra documentar minha vida de uma maneira mais interativa.

Meu gatos, Nick e Quincas, também vão ter que esquecer por um tempo a vidinha aconchegante que levam. Não, não vou botar eles dentro de uma caixa de papelão e guardar num depósito, mas vou enfiar os dois dentro de uma caixa transportadora e vou carregar eles comigo. Pra onde? Boa pergunta. Depois de tanta peregrinação, impossível ficar num lugar só pra sempre. Voltar pro Brasil é uma opção, assim como continuar na Europa é outra. As opções são muitas, mas todas vagas, incertas, flutuantes. Daqui a três meses e meio vou ter que engolir o choro, olhar pra trás com orgulho de ter terminado mais uma fase da vida, e botar o pé na estrada mais uma vez, dessa vez, e pela primeira vez, sem planos concretos, sem saber aonde vai dar. Eu, meus bichanos, e aquele que eu escolhi (me escolheu?) pra se aventurar juntos pelo mundo.

***

Enquanto isso, dedico meu tempo a aproveitar a melhor estação do ano na terra da neblina. Com a minha mãe aqui, tenho desculpa de sobra pra ver de volta cada um dos monumentos, das praças, dos parques, dos bairros boêmios, dos pubs enfumaçados, das praias de pedra e água gelada, da fauna que se veste de acordo com a área que frequenta (moderninhos em Shoreditch, punks e góticos em Camdem, white trash em Essex, madames em Chelsea, engravatados em Canary Wharf, manos em Brixton, brasileiros... em tudo que é lugar). Tenho assistido muitos filmes, lido muitos livros, tirado muitas fotos, entornado muito alcóol, e conversado por horas e horas e horas sobre futebol, moda, cirurgia plástica e a situação política na China, dentro dos trens, dos bares, na frente do rio. E eu queria estar falando em detalhes de cada uma dessas pequenas experiências, indicado tudo o que eu tenho visto/comido/experimentado, mas tenho medo de olhar pro calendário e ver que os dias ensolarados do meu possivelmente último verão em Londres passaram rápido demais, na frente do computador.

Mas eu volto aqui. Eu sempre vou voltar.

7 comments:

Larissa said...
This comment has been removed by a blog administrator.
Larissa said...

Oi!
Vc não me conhece, mas eu entro aqui às vezes pra ler seu blog. Este último post está muito bom, adoro ver as pessoas fazendo mudanças nas suas vidas, e perceber a inspiração que brota nesses momentos.

Beijos e boa sorte

Anonymous said...

vc é maravilhosa! fico me deliciando aqui com o que você escreve. é tão... espontâneo.
não pare de escrever!

Leo said...

Boa sorte na nova etapa... você escreve muito bem, é uma pessoa muito inteligente. Vai ficar bem em qualquer lugar.

patricia said...

thais, vais voltar ? que coragem ! boa sorte, menina. lembre-se que nada é eterno e decisões(?) não precisam ser para sempre. é o que eu me digo todo santo dia... um beijo.

Mannu Ebert said...

Boa sorte Thais!
beijos

Anonymous said...

Excellent, love it! » »